quarta-feira, fevereiro 07, 2007

querido leminski

com leminski aprendi
que tudo se desaprende
que distraída, vencerei
a dor
que o poeta deveras sente

4 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Que dor é essa que sufoca a gente e que temos que aprender a lidar?

Denise Sollami disse...

pois é, Ricardo, mas aí a gente poetiza um pouco daqui, ouve uma música dali, escreve acolá... é a vida.

eduardo lima disse...

Faixa preta, essa Denise, faixa preta. Como Leminski.

valter ferraz disse...

Denise, deixe as dores prá lá, vem prá cá.Como se fosse possível, não?
Abraço e obrigado pela visita ao perplexo.