segunda-feira, junho 12, 2006

um fim de semana e dois filmes

A vantagem de ser filmes em DVD, após seus lançamentos nos cinemas com toda a espuma que em geral provocam, é ter este distanciamento que serve para se livrar da impregnação que críticas e boca-a-boca costumam causar. Passado o tempo, tem-se um ponto de observação sobre a obra, guarda-se a impressão pessoal que o turbilhão midiático e as opiniões dos amigos costumam confundir e sugestionar. Quer dizer, que costumam me confundir e me sugestionar.
O fato é que vi dois filmes que há muito queria ver, sendo que um deles ainda está em cartaz nos cinemas: “Brokeback Mountain” e “Match Point”. Gostei muito dos dois, não saberia dizer se mais de um do que do outro, mas o curioso é que ambos falam - um de forma mais sutil, o outro de forma bastante aberta, já que se trata exatamente de sua mensagem principal - de coisas que me ocorrem pensar com certa freqüência.
“Brokeback” diz que não se programa paixão, amor, amizade. Não são coisas programáveis, escapam ao controle, simplesmente acontecem. Uma vez apresentados os personagens, parece que seria bastante improvável que eles se apaixonassem e que tivessem um caso. Mas se apaixonam, se amam mesmo, e por anos mantêm-se fiel a este sentimento. Como os apaixonados, não escondem a felicidade ao se verem e o sofrimento a cada separação. É o imponderável lembrando que o acaso é de tal importância na vida que tentar estar no controle das coisas é perda de tempo. A vida acontece quando se está ocupado fazendo outra coisa, já dizia John Lennon. Pura, pura verdade.
Fora isso, o filme é plasticamente bonito, a trilha sonora é muito boa, os artistas estão ótimos – um, que interpreta o personagem Ennis Del Mar, contido; outro, Jack Twist, o sedutor, um sexy discreto – e as cenas românticas são muito bem conduzidas. Nada me chocou neste filme, gostei de tudo o que vi.
Já “Match Point”... ah, é um Woody Allen e, como qualquer Woody Allen, me causou aquela impressão cinematográfica que ficará em mim por uns dias. Ele é perfeito, o adoro. Este filme, ainda por cima, tem a sofisticação de haver sido rodado em Londres com atores britânicos, salvo Scarlett Johansonn, a sexy nada discreta. “Match Point” responde a inevitável pergunta “sorte ou talento” (a pergunta está na moda) sem rodeios: sorte, claro, que talento todo mundo tem, porque, com algum talento, com algum dom, todo mundo nasce (Deus é generoso e, afinal, é preciso "de um tudo para se fazer um mundo"). Ora, isso é tão óbvio, porque se perde tanto tempo em elucubrações psicodélicas e existencialistas sobre este assunto? Nunca entendi.
De mais a mais, o filme tem o vigor do mestre naquelas intrincadas tramas pessoais que recorrentemente elabora, aquelas paixões complicadas, natimortas, cansativas. Simplesmente genial.
Às vezes acredito firmemente que enquanto existirem cineastas bons e roteiristas competentes o mundo estará a salvo da mesmice.
Já a pipoca e o celular do vizinho tocando indômito, sinceramente, eu dispenso: eu preciso do silêncio.

2 comentários:

Roberta disse...

Dede'..sobre o Brokeback...

Como vc disse,nada me chocou(apesar de ser um desperdício enorme de gostosuras po!!!)...
Mas foi um filme q provou p meu coração q o amor não tem sexo,isto e',no sentido do artigo definido.
Aquela e' uma estória de amor q me tocou muito mais do que o fato de serem dois homens os amantes!
E os sentimentos q tive durante as cenas,foram sofridos como se fossem,ou muito mais,um filme c um casal hetero.
Varias foram as vezes em que reconheci nos personagens homens e mulheres sofrendo por saudade,por rejeição,por inseguranças,por paixão,por esse sentimento que se apresenta com tantas mascaras,mas que se resume em um so' : amor.

Vi sofrimento de corações,piorados pelo fato de não terem coragem (um deles apenas) de "saírem do armário".....Mas o sofrimento e' o mesmo.
Qts pessoas vivem pras expectativas de outras? Pai,mãe..amigos...e não podem se dar ao luxo de dizer "tchau" prum casamento falido ou pra sua Confort-zone,pq o "outro" e' velho demais,moço demais..."casado" demais....complicado demais...cego demais...

Chorei muito na hora em que o moreninho resolve jogar tudo pro ar e dizer q "uma vez por ano" e' pouco pra tanto amor e afeto.
O mais sofrido de tudo e' q ele sabia q aquilo era uma espécie de fim....pq ele não via no outro a possibilidade dele chegarem a um denominador comum.
Mas ai,qd achamos q a catarse era essa,a do moreninho,descobrimos q a verdadeira catarse vem do lourinho que quebra o silencio de sua carinha linda carrancuda e prova que "os brutos também amam"...
e que talvez,o mais provável,e' q seu amor e sofrimento fossem infinitamente maiores do que o do outro,por serem enjaulados em seu pudor e próprios conceitos.
Puxa..imagina o q e' vc amar,saber q pode ser feliz plenamente,que o sol te sorri la' fora,que tem muita vida p ser vivida pq o amor da sua vida te espera...mas a força interior não te deixa..e te cega pra essa felicidade toda?!De longe esse era mais sofredor q o outro,q foi presenteado c a morte,acontecimento mais que benvindo p aqueles cujo amor não lhe e' correspondido.

E então,ele que vivia enjaulado em sua solidão e conceitos,descobre o que sobrou do seu amor:um quarto,uma roupa tão familiar,a cumplicidade dos pais órfãos de um filho que não foi feliz,e o resto de sua vida pra sofrer...

CACILDA DEDE' CACETE!!!!!!!!!!!!.....Se esse lourinho conhecesse a dupla Roberto e Erasmo se lembraria que " o importante e' ser feliz e mais naaaaadaa.."
e em vez de dizer o incompreensível
"I promisse.." do final do filme....teria dado um tiro na cabeça pra ser feliz na outra dimensão......mas,pelo amor de Deus,((( SER FELIZ!!!!))

Denise Sollami disse...

Roberta, esse filme tem esta qualidade, a de emocionar, sem ser piegas - o que seria facílimo, pois é uma história romântica bem triste. Eu acho que tanto o diretor quanto o roteirista (roteiro adaptado, não original, antes de virar filme era uma novela) foram muito felizes, conduziram muito bem seus trabalhos. 'Chapeau' para eles, fazer um filme desses no mainstream de Hollywood não é banal. E adorei que vc tenha vindo aqui postar! Volte sempre!!