quarta-feira, junho 27, 2007

famiglia

A Maria me ligou ontem à noite dizendo que sua mãe é mesmo uma índia, como ela desconfiava. Disse que se queixou de uma “dorzinha” na altura dos rins, foi ao médico, fez uns exames e descobriu que tem uma pedra enorme, do tamanho de uma pedra pome, algo inimaginável. O médico ficou estarrecido e não compreendeu como poderia aquela senhora falar, se mexer, e não estar em estado de total catatonia com uma pedra daquele tamanho dentro dela.
É que ele não conhece a família da Maria.
Outro dia a avó, à mesa, fez um muxoxo e, enquanto mastigava, tirou uma coisa da boca; discretamente, a colocou ao lado do prato. Perguntada sobre o que era, disse: “meu molar, o último que me restava, vou fazer uma simpatia”. Continuou comendo como se nada se passasse. Não tem nem um dente na boca, mastiga com as gengivas.
O curioso é que, se nesta família são estóicos para si, são sensíveis para os outros, de uma delicadeza de sentimentos raramente vista. Acontece de eu estar aborrecida e só assim me perceber através dos olhos da Maria. Nem percebo que estou contrariada, mas ela percebe. Muitas vezes é ela quem me comunica o que sinto.
Enfim, o fato é que a mãe da Maria, diagnosticada ontem, foi operada hoje pela manhã e está ótima, diz não sentir nada (não admira). Deve ir para casa amanhã, no máximo depois de amanhã. A Maria viu a pedra e me disse que era realmente enorme. Faço idéia.
Aposto um bombom como no sábado a mãe da Maria estará de pé na cozinha, fazendo o almoço da famiglia, dizendo “não foi nada, minha filha, era só uma pedrinha...”.

5 comentários:

strix disse...

Queres que eu diga "alguma coisa"?
Então aí vai:
"ALGUMA COISA"
Estás contente, ou falta alguma coisa?
Strix.

Frederico disse...

nossa...

Frederico disse...

(tentei duas vezes comentar lá no blog da moça entrevistadora. Não estou conseguindo...). Aparece a seguinte msg: "O comentário não pode ser publicado.Foram encontradas palavras não permitidas.
Retire as palavras:" e mais nada. E não escrevi NADA demais...

:(
mas, de toda forma, ADOREI a entrevista.
parabéns! :-)

Denise Sollami disse...

Fred, este é um problem,a, volta e meia se é censurado. O que vc escreveu?

Ricardo Rayol disse...

Bizarro