quinta-feira, outubro 05, 2006

O De-Tantra



Recebo um milhão de mensagens de auto-ajuda por e-mail. Não compreendo se me remetem porque acham que eu preciso de ajuda ou se é porque pensam que gosto de assuntos de auto-ajuda. Como quer que seja, é estranho, porque, perversamente movida pela curiosidade, eu tomo um tempo e leio essas mensagens. Quase todas.
São uma nova forma de oráculo. São oráculos pós-modernos, imediatistas e sem compromisso, como convêm aos oráculos. Nada de muito trabalho, de muita despesa, de muito tempo. Respostas rápidas para consultas cruéis e/ou banais (devo ou não trocar de emprego, marido, cidade, país, a cor do cabelo), com a vantagem de não precisarem do jogador do tarô ou do reprogramador cármico. Sem intermediários, você está sentado diante de seu computador, recebe a mensagem e a iluminação é imediata. Sem sofrimentos. Sem precisar exercer a autocrítica e perceber o que é desagradável a seu respeito.
Enfim, diante desta enxurrada de aconselhamentos (gratuitos), observei que tem conselho para todo o lado: ora você deve comer assim e assado, ora de nada deve se privar, ora deve entender o próximo, ora manifestar seu descontentamento com ele.
Recebi outro dia, pela enésima vez, um tal de "Tantra Totem", que não deveria permanecer em 'minha máquina' muito tempo. Porém, se eu o enviasse a "0 a 4 pessoas" minha vida melhoraria de alguma forma. Zero a quatro pessoas.
Pinçei alguns dos conselhos deste texto e escrevi o que acho que poderia ser outro Tantra. O De-Tantra, ou a Desconstrução do Tantra, que está em itálicos.
- Coma muito arroz integral
Não se prive de nada, mas tenha moderação em tudo. Se tiver que se privar, não o faça além de suas necessidades.
- Dê as pessoas mais do que esperam e faça-o com gosto.
Não dê as pessoas tudo o que elas esperam de você, mas apenas na medida de seu próprio amor e amizade. Você não é obrigado a atender as expectativas alheias o tempo todo.
- Não acredite em tudo o que escuta, não gaste tudo o que tens, nem durma o quanto quiseres.
Não despreze o que chega a seus ouvidos, o acaso é um instrumento divino. Desapegue-se de seus bens e acredite na Providência Divina. Lembre-se de dormir o quanto precisar, o sono é o melhor dos remédios.
- Jamais ignore os sonhos dos outros;
Não ignore seus próprios sonhos e anseios.
- Não julgue os demais pelos seus parentes;
Perceba a família de seu próximo, ela dirá muito sobre ele.
- Fale lentamente, mas pense com rapidez;
Pense com vagar, seus pensamentos serão mais claros e nítidos.
- Ligue para seu pai, para sua mãe. Se isto não é possível, ao menos pense neles;
Libere seus pais de suas demandas. Entenda que a vida é um ciclo e que eles querem se sentir recompensados por todo o trabalho que tiveram com você.
- Quando você perceber que errou, faça o que for necessário para consertar seu erro. Imediatamente.
Não sobrevalorize seus erros, os problemas tendem a se resolver por si só. Apenas peça desculpas se tiver ofendido alguém.
- Passe algum tempo em solidão.
Desfrute da companhia de quem vc gosta sempre que puder. Tente sempre estar cercado daqueles que você mais gosta.
- Viva uma boa e honesta vida. Assim, quando estiver velho e lembrar do passado, vai ver como o desfruta pela segunda vez.
Não pense no passado e tente forjar seus pensamentos para não viver das lembranças passadas. A vida é aqui e agora.
- Faça o possível para ter um lar tranqüilo e harmonioso.
Não se desespere perante as disputas domésticas. Dê lugar para o contraditório no seio de sua família. Conviva com as diferenças e ensina teu próximo a fazer o mesmo.
- Leia entre linhas.
Não tente compreender aquilo que não lhe foi comunicado diretamente. Saiba aguardar.
- Se ocupe de seus próprios assuntos.
Ocupe-se dos assuntos alheios e alguém se ocupará dos seus quando vc precisar de ajuda.
- Case-se com uma pessoa que goste de conversar, pois quando chegar à velhice, as habilidades de conversador vão ser mais importantes que qualquer outra.
Case-se com alguém que goste de conversar para estabelecer uma boa comunicação desde o início do casamento. A comunicação é algo que se constrói. Até lá, aproveite os prazeres da carne que apenas a juventude permite.
Espero que tenham todos tido uma imediata e profunda iluminação.

13 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Taí um assunto pródigo em análises de todos os tipos. Auto-ajuda é uma coisa tão boçal que dá nos nervos. Po, será que uma pessoa precisa ler que "deve ter sempre o sentido da evolução em seus pensamentos pois sairá do lodaçal purulento em que se encontra" ou "não olhe para o sol que ficará cego" para se tocar que sem força de vontade não se chega a lugar nenhum?

CrissMyAss disse...

O mais hilário é o "zero a quatro".
Sempre nos dá a opção de não mandar pra ninguém e mesmo assim não arder no inferno, nem aumentar o karma...

strix disse...

O Strix esteve aquí.

Nevão disse...

CONSELHOS

Na vida eu só entrava pelo cano,
minha mulher vivia barriguda,
de roupa, nada mais do que uma muda,
só ia às compras uma vez por ano.

Aí virei autor de auto-ajuda,
usando termos como "runa" e "arcano".
Agora lanço um livro todo ano.
Bobagem que eu escrevo sempre gruda.

Podem pensar até que isso é lorota,
mas é um golpe lícito que aplico,
e a chance de ser preso é bem remota.

Saibam que eu não sou de pagar mico.
Virei um mago para muito idiota
que fica pobre enquanto eu fico rico.

Denise Sollami disse...

Nevão, se vc não está rico, já já ficará. Quem mais tem uma verve dessas?

Anônimo disse...

DEnise, de uma olhada nesse endereco: http://www.religiosidadepopular.uaivip.com.br/artigos.htm
Claudio

Adelino disse...

Denise, eu acredito em livros de auto-ajuda. Conhece aquele de Dale Carnegie HOW TO STOP WORRYING AND START LIVING (Ou Como Evitar Preocupações e Começar a Viver)? Um vez, um colega nosso estava à beira de um colapso nervoso por problemas familiares não financeiros. Preocupava-se demais com o presente, com o futuro, e com o passado... Eu então lhe entreguei um exemplar do livro recomendando-lhe a sua leitura. Ficou com ele durante um ano. Eu pensava que jamais o veria de novo na minha estante. Um belo dia ele me devolveu o livro dizendo-me que a partir da sua leitura tinha se livrado de suas preocupações e estava vivendo maravilhosamente bem.
Atenção! Isto não é propaganda não, mesmo porque Dale Carnegie não precisa de divulgação...
Um abraço do seu leitor.

Nevão disse...

Denise,
desculpe-me se abuso de sua paciência. Acesso seu site através da dica, se é assim que se chama.
M

Nevão disse...

Denise,
desculpe-me se estou abusando do seu blog, aliás très instelligent.
Acesso-o pelo Crissmyass. O problema é que me considero um incompreedido e meu blog teve rarísimas visitas, se é que as teve. Aí, pego um gancho no seu ou no dito Criss para desaguar minha verve, inútil se ninguém ler.
Assim, mando mais um, para gáudio ou raiva de quem o ler.

RELIGIÕES

De religiões a lista é mesmo imensa.
Só não professo uma por preguiça.
É culto e procissão, é reza e missa.
Que confusão na escolha duma crença!

Em Roma o Papa tem Guarda Suíça,
por causa duma antiga desavença:
Lutero quis casar na Renascença,
cansado de transar só com noviça.

Já no Iraque, a briga do xiita
com o sunita agora é de dar medo.
A tropa americana vive aflita...

Só falta o meu Brasil entrar no enredo:
tem muito pai-de-santo que se irrita
e faz mandinga pro Bispo Macedo.

Denise Sollami disse...

Adelino, quem sabe este livro é uma literatura de qualidade? Pode ser. O que não aguento são essas tolices que recebo.
Nevão, volte sempre, a casa é sua. Eu já te visitei e gostei muito de seu cafofo.

Adelino disse...

Pode ser, Denise, que o livro que citei seja uma literatura de qualidade. Foi um dos primeiros, se não o primeiro a tratar do assunto de maneira prática e simples. Salvo engano, foi ou é o livro mais vendido depois da Bíblia. Depois, descoberto o "filão" surgiram mais de mil outros falando de auto-ajuda.
Um abraço do seu leitor

Patrícia Evans disse...

Dê... e os emails com propaganda de maneiras milhões de ter um pênis maior? O endereço do email em que mais recebo esse tipo de propaganda começa com Patrícia. Ou eles não levam fé que não tenho nada para aumentar ou eles sabem com quem ando...... Bizarro, huh?

Denise Sollami disse...

Pat, tb recebo vários e-mails desses. E, assim como Patricia, Denise é inequivocamente um nome feminino, e em qualquer língua. Eu, heim!